A festa como manifestação privilegiadada ludicidade humana

Conceição Lopes

Resumo


A reflexão sobre a festa é realizada a partir do pressuposto de que a festa é uma
manifestação da ludicidade. Destaca-se que a ludicidade, como fenómeno humano, é
socialmente desvalorizada e fragmentada, apesar de nas sociedades de influência cristã o
texto bíblico do livro dos Génesis aludir ao fenómeno da ludicidade humana, no processo
da criação Divina do Mundo. O artigo explora, ainda, as relações entre mundos de
experiência e ludicidade. E, estabelece a conexão entre a natureza consequencial da
comunicação e da ludicidade, o que permite definir o conceito de ludicidade, desenvolver a
teoria orquestral da ludicidade e afirmar que a festa é um lugar privilegiado das
manifestações deste fenómeno humano e social.

Texto completo:

PDF